Cabe uma árvore em um terrário?

Parte final da minissérie A Origem dos Terrários.

Até as seringueiras brasileiras estão nos registros da origem dos terrários...

Antes de chegar nelas, como você sabe pelas partes anteriores desta história, Dr. Nathaniel Ward encontrou uma samambaia nascendo em uma das garrafas em que mantinha um casulo de mariposa.

Muito antes de compreender o potencial disso, ele manteve a garrafa fechada por quatro anos.

Quando o lacre se desmanchou, estragado, a samambaia veio a morrer por conta da poluição do ar de Londres na época.

Mas aí ele teve um 'estalo'...

...Dr. Ward contratou um carpinteiro para fazer algumas caixas com vidro…

...e suas samambaias passaram a se desenvolver como nenhuma outra em Londres
.

A partir daí o mundo das plantas teve uma revolução.

Dr. Nathaniel B. Ward se tornou um homem popular quando publicou seu experimento e em seguida um livro, em 1842.

As Wardian Cases ou Caixas de Ward ficaram amplamente conhecidas e foram usadas para o transporte de plantas de um continente a outro do mundo.

Elas mantinham o ar aquecido, a umidade presente e protegiam as plantas dos respingos e jorros de água salgada, já que todas as grandes viagens eram feitas pelo mar.

[pausa para detalhe importante: Hoje, em nossos terrários, as plantas que estão dentro também costumam viver por mais tempo e melhor do que as que permanecem fora. É meio contra-intuitivo, não é? Não desperta curiosidade? A gente fala mais disso na nossa aula gratuita.]


As primeiras viagens foram feitas em 1833 e transportavam samambaias da Inglaterra para Austrália…

... e foram sucesso absoluto.

Tanto que começaram a vir plantas da Austrália em direção a Inglaterra também.

E onde antes morriam 19 de cada 20 plantas, essa matemática simplesmente se inverteu:

de cada 20 plantas, 19 permaneciam vivas ao final dessas viagens.

Foi assim que as Caixas de Ward, que vieram a dar origem aos terrários, foram protagonistas de uma revolução.

As ervas da China foram levadas para cultivo na Índia; as sementes de seringueira eram germinadas nas estufas de Kew, Inglaterra, e as mudas das árvores brasileiras eram enviadas nas Caixas de Ward para uma produção inédita de borracha no Ceilão (Sri Lanka).

Assim começou a quebra do monopólio geográfico da produção de bens agrícolas, algo nunca visto antes.

Paralelamente a essa revolução econômica da época, outra coisa curiosa estava acontecendo

...algo que está sendo redescoberto bem na nossa geração.

As casas vitorianas tinham Caixas de Ward para manter as samambaias e orquídeas crescendo independentemente da poluição do ar.

E por consequência disso se espalhou a mania de cultivar plantas na sala de casa.

Tudo por causa das Caixas de Ward.

Alguns séculos depois, estamos nós, aqui, cultivando Planetinhas e Paraísos Portáteis em formato de terrários…

...também por causa de Nathaniel Ward :)


E hoje temos essa nova revolução acontecendo agora mesmo... da qual, aqui na Peperômia, estamos fazendo parte...

...porque os terrários podem ter uma função muito, muito superior a meros enfeites de sala, porque eles podem revolucionar a saúde das pessoas que vivem em cidades grandes...

...e solucionam um problema que é ainda mais grave do que a poluição!

Mas isso só se você souber como usar...

...e isso eu quero compartilhar com você :)


Neste vídeo aqui embaixo você vai descobrir:

- como os terrários evitam o problema oculto que está se espalhando pelo mundo
- como você vai fazer parte desta nova revolução
- e também por que as plantas que estão em um bom terrário vivem mais (e que terrário não é gaiola)


Tudo isso está esperando por você...
Então clica aqui embaixo para ver o vídeo!

Aproveita que você está aqui e faz isso agora, sim?
:)

Um abraço iluminado!

QUERO ASSISTIR O VÍDEO!